Home ANAFISCO Solucionando problemas na administração pública: três estudos de caso sobre a implementação de inovações na gestão pública federal

Solucionando problemas na administração pública: três estudos de caso sobre a implementação de inovações na gestão pública federal

por ANAFISCO

A inovação se apresenta hoje como uma condição fundamental em qualquer que seja o setor. Afinal, é uma estratégia que pode diferenciar uma instituição pública no mercado, fazendo com que alcance seus objetivos com maior velocidade, como a satisfação dos usuários de serviços públicos. Além disso, ajuda o órgão público a alcançar a sua finalidade, que é o interesse público.

Pensando nisso, elaboramos este conteúdo para apresentar três estudos de casos que revelam o sucesso da implementação de inovações no âmbito da gestão pública federal. Os casos são frutos de um estudo realizado por pesquisadores da Escola Nacional de Administração Pública (ENAP). Veja!

1. Implementação da teleassistência em saúde para regiões remotas de Minas Gerais

A distribuição de profissionais da saúde por um território é marcada por desigualdade e concentração. É fato que muitos dos profissionais preferem trabalhar em cidades bem localizadas, na capital ou próximas a ela, pela infraestrutura que oferecem.

O problema é que isso faz com que as populações situadas em regiões remotas fiquem desassistidas, o que coloca suas vidas em risco.

Para resolver esse caso, o governo do território de Minas Gerais desenvolveu um sistema de teleassistência. Para isso, se utilizou das tecnologias de comunicação e informação existentes, mais conhecidas como TICs.

Com a implementação dessa inovação, o governo mineiro pôde reduzir os efeitos da concentração de profissionais da saúde nas grandes cidades e, ao mesmo tempo, possibilitou que eles pudessem realizar atendimento via TICs.

O sistema de teleassistência de Minas Gerais integra profissionais de diversas especialidades, como enfermeiros, médicos, biomédicos, entre outros. É uma inovação que foi capaz de fazer com que a administração pública pudesse ampliar o alcance dos seus serviços na área de saúde.

2. Projeto Porto Sem Papel

O projeto inovador Porto Sem Papel nasceu para resolver um problema que acometia a maioria dos portos brasileiros, os quais são responsáveis por enviar e receber dezenas de toneladas de produtos ou materiais, vindos de diversos países do mundo: o processo e gestão de informações.

Com outras palavras, a partir de uma pesquisa feita pelo Governo Federal, constatou-se que os postos enfrentavam problemas para tornar seus processos informacionais menos complexos e mais otimizados.

Assim, o projeto Porto Sem Papel é um macroprojeto que busca prover o setor portuário de sistemas de informações estruturadas, confiáveis e acessíveis, para que as autoridades envolvidas no processo possam coordenar as atividades dos portos sem burocracia e com economicidade.

Vale destacar que essa inovação já foi implementada na maioria dos portos da Europa.

3. Aperfeiçoamento das condições de trabalho nos canaviais

O Brasil é reconhecido internacionalmente como um dos principais produtores da cana de açúcar. Essa mesma reputação, no entanto, não é muito boa quando se refere às condições de trabalho no setor.

O trabalhador deste setor além de utilizar o facão diversas vezes para cortar e coletar a cana de açúcar, ainda tem que transportá-la muitas vezes sob o sol escaldante. Com isso, sua saúde é colocada em risco.

Diante desse quadro, foi implementada a inovação chamada de Compromisso Nacional para Aperfeiçoar o Trabalho na Cana de Açúcar, com a finalidade de melhorar as condições de trabalho no setor e, assim, garantir qualidade de vida para os trabalhadores.

Basicamente, a implementação dessa inovação consistia nas seguintes etapas: diagnóstico do problema, mesa de diálogo, compromisso nacional, plano nacional de qualificação, auditoria independente e selo de compromisso da empresa.

Inovar na administração pública é fundamental para que os serviços públicos sejam realizados com maior eficiência, produtividade e economicidade. Todos agradecem, principalmente a população que depende dos serviços fornecidos pelos órgãos públicos.

Fonte: Grupo Editores do Blog.

Você também pode se interessar por

Deixar um Comentário