Home ANAFISCO Ferramentas online gratuitas que podem ser usadas na gestão dos municípios

Ferramentas online gratuitas que podem ser usadas na gestão dos municípios

por ANAFISCO

As cidades inteligentes são fruto de um mundo hiperconectado com um fluxo de informações muito acelerado, o que torna o conceito de gestão pública muito mais desafiador do que a forma como as cidades estão habituadas.

Em primeiro lugar é preciso entender que o que funcionava antes não necessariamente vai funcionar agora e isso vai exigir novas iniciativas, como o uso de ferramentas colaborativas e de gestão.

Essas ferramentas solucionam inúmeros problemas que abrangem desde o compartilhamento de informações até a simplificação de mecanismos de colaboração, afetando de forma positiva a gestão do município.

É fato que as cidades inteligentes possuem potencial para causar um grande impacto no modus operandi das cidades e na forma como os setores públicos se comunicam com os cidadãos. 

Logo, tão desafiador quanto lidar com a introdução do conceito de cidade inteligente é também, lidar com os desafios tradicionais que abrangem questões de segurança, saúde, educação, saneamento básico, habitação e gestão pública. 

As ferramentas, neste caso, surgem como alternativa para implementação de uma nova forma de gerir um município. Baseada em transparência, colaboração, participação pública e tecnologia.

Gestão nas cidades inteligentes

O termo cidade inteligente surgiu na década de 90, porém foi a partir de 2015 que se iniciou um crescimento significativo de publicações relacionadas ao tema.

Até então, o conceito de cidade inteligente soava automatizado demais, como no famoso desenho dos anos 60, Os Jetsons.

O fato é que cidades inteligentes contemplam sim o uso de tecnologia como base para a inovação urbana e melhora da qualidade de vida,. Porém farão isso se utilizando de tecnologias já existentes e em pleno uso pela grande maioria da população.

Em outras palavras, cidade inteligente não é sinônimo de cidade futurista. É a cidade que se utiliza da tecnologia existente para facilitação de processos, maior sustentabilidade e melhora da qualidade de vida.

Logo, pode-se dizer que a tecnologia não é um fim e sim uma ferramenta para o desenvolvimento dessas cidades.

Nesse cenário, mais do que nunca a gestão pública surge como peça fundamental na estruturação da arquitetura técnica envolvida na implementação de uma cidade inteligente.

Pois, é através dela que se pode avaliar e desenvolver as habilidades e competências para inovar nos processos e procedimentos administrativos e operacionais. 

O sistema de governança nas cidades inteligentes, ou o governo inteligente, visa conectar todas as forças no trabalho, integrando conhecimentos, facilitando a tomada de decisões e maximizando seu desempenho.

No governo inteligente se destaca uma visão prospectiva e orientada para a integração de tecnologia e inovação. Não só em suas operações internas, como também nos serviços externos.

Governo inteligente é aquele que se utiliza de tecnologias como, por exemplo, big data e dados governamentais abertos como forma de alcançar estruturas governamentais e uma governança mais ágeis e eficazes.

Essas tecnologias têm como objetivo potencializar os serviços destinados à comunidade.

Ferramentas que auxiliam na gestão das cidades inteligentes

  • Google Drive: Para compartilhar documentos, editar em grupo, em tempo real e deixá-los na nuvem;
  • Dropbox: Para compartilhar documentos e deixá-los na nuvem;
  • Asana: Para gerenciamento de projetos e tarefas com possibilidade de colaboração, além de outros recursos;
  • Monday.com: Sistema operacional de trabalho para gerenciamento de projetos e fluxos de trabalho de equipe com quadros personalizáveis e centralização de trabalho em uma única plataforma;
  • Trello: Para gerenciamento de projetos, organização de fluxos de trabalho e monitoração de tarefas.
  • Slack: Para comunicação de equipes, baseado no protocolo IRC. Permite que os colaboradores se comuniquem e enviem mensagens para organizar o fluxo de trabalho.
  • ‍Google Workspace: Para ferramentas corporativas que melhoram a comunicação, a colaboração e a produtividade. 

Concluindo, as ferramentas são aliados indispensáveis para a gestão pública das cidades inteligentes. Devem ser utilizadas para uma boa governança, integrando o conceito de colaboração que as smart cities pregam tão bem.

Você também pode se interessar por

Deixar um Comentário