Home ANAFISCO Em Minas Gerais, Carmo de Cajuru implanta projeto inédito de Cidades Inteligentes

Em Minas Gerais, Carmo de Cajuru implanta projeto inédito de Cidades Inteligentes

por ANAFISCO

Um projeto original de cidade inteligente está em desenvolvimento no município mineiro de Carmo do Cajuru.

Por meio de uma parceria público-privada envolvendo o Instituto de Planejamento de Gestão de Cidades (IPGC), a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a Escola de Administração Pública de Minas Gerais (Fundação João Pinheiro), fica estabelecido um plano estratégico inédito no país em que serão integrados os serviços ligados ao desenvolvimento urbano e social da cidade em uma única concessão.

Com um investimento aproximado de R$ 64,5 milhões, que vai contemplar intervenções na estruturação da rede de iluminação pública e de telecomunicações da cidade, o plano estratégico tem como diferencial o fato de que a administração municipal não terá custos com a aplicação dos recursos.

Com uma população de 22.478 habitantes e situada a 112 quilômetros de Belo Horizonte, a cidade de Carmo do Cajuru vai ser contemplada com a estruturação e manutenção da sua rede de iluminação pública, com a instalação de 4,5 mil luminárias por led em todo o seu perímetro urbano, bem como nas sedes distritais de São José dos Salgados, Bom Jesus de Angicos e Santo Antônio da Serra.

O objetivo é proporcionar uma maior sensação de segurança noturna aos moradores, assim como diminuir o consumo de energia da região.

Para o serviço de telecomunicações, está prevista a instalação de rede de dados articulados em 17 mil metros de fibra óptica para uma informatização completa dos 35 órgãos e setores da administração pública municipal.

A intervenção inclui ainda um sistema de monitoração das vias públicas por 20 câmeras de vídeo, a serem instaladas em dez pontos estratégicos.

Serão ofertados ainda seis pontos de conexão Wi-Fi público de alta velocidade para usuários de internet.

Também está previsto pelo plano a implantação de uma usina de energia solar fotovoltaica no município, com capacidade de atender a demanda pública local, assim como propiciar tributos para o caixa público.

O contrato assinado pelas organizações nacionais que formam o consórcio tem uma duração de nove meses para a sua implementação, devendo começar a operar logo em seguida.

A implementação do modelo tridimensional vai servir de referência para outros municípios de pequeno e médio porte.

A concessão administrativa tem uma duração de 25 anos para a realização e manutenção dos investimentos, pretendendo trazer como resultados uma melhor segurança pública, assim como impactar positivamente a economia local e melhorar a qualidade de vida dos moradores.

Fonte: Grupo Editores do Blog.

Você também pode se interessar por

Deixar um Comentário