Home ANAFISCO As cidades pelo mundo que tem a gratuidade dos transportes públicos

As cidades pelo mundo que tem a gratuidade dos transportes públicos

por ANAFISCO

A gratuidade do transporte público tem sido uma pauta discutida há algum tempo. Há muitos anos, a mudança na mobilidade urbana é defendida por autoridades e especialistas. Um dos argumentos mais utilizados é que tornar o transporte público um serviço gratuito reduziria as emissões de carbono e a poluição do ar, além de ajudar as famílias desfavorecidas.

Porém, nem todos concordam com essa ideia. 

Muitos críticos ferrenhos da iniciativa protestam. Afirmam que os desafios de custo e infraestrutura envolvidos no processo de adotar em cidades grandes a mesma política aplicada em cidades pequenas, seriam grandes demais.

Porém, a despeito das críticas, atualmente, aproximadamente 100 cidades do mundo todo já possuem políticas de transporte público gratuito à seus cidadãos, a maioria delas cidades da Europa

De acordo com a American Public Transportation Association, cada dólar investido em transporte público resulta em cerca de quatro dólares de retorno econômico. 

Além disso, o transporte público também é um dos meios de transporte mais seguros com um risco de acidentes 90% menor em comparação ao transporte privado. 

Transporte Público e a Sustentabilidade

Já no que se refere à sustentabilidade, o transporte público é responsável hoje por uma economia de, em média, vinte bilhões de litros de gasolina anualmente e trinta e sete milhões de toneladas de carbono no mundo. 

Importante destacar que o transporte coletivo também emite 20% a menos de monóxido de carbono e 25% a menos de óxidos de nitrogênio a cada milha por passageiro. Isso comparando aos números causados por veículos individuais.

Cidades e países que oferecem transporte público gratuito

  • Luxemburgo

Desde março de 2020, Luxemburgo aboliu as tarifas nos transportes públicos. 

E é interessante mencionar que, a despeito de outros modelos que vemos por aí, quem não mora no país também não precisa pagar pela passagem. Essa gratuidade da passagem é financiada pelos impostos.

Em outubro de 2021, durante o debate do orçamento público, o governo anunciou o plano de introduzir o transporte local gratuito para toda a comunidade com o objetivo de reduzir a dependência dos cidadãos em relação aos carros.

O projeto em Malta também é financiado por impostos.

  • Hasselt, Bélgica

A cidade belga de Hasselt introduziu o uso gratuito do transporte público em 1997. O benefício durou até 2013, quando a prefeitura da cidade encerrou o experimento por considerá-lo financeiramente inviável.

  • Maricá, Rio de Janeiro

Maricá é a segunda maior cidade brasileira a oferecer transporte público gratuito para seus cidadãos. Os ônibus carinhosamente chamados de “vermelhinhos” funcionam desde 2015.. 

  • Caucaia, Ceará

Desde 2021, o município de Caucaia oferece transporte público gratuito para sua população. Atualmente a cidade é a maior do Brasil com gratuidade. 

  • Tallinn, Estônia

Em Tallinn, nenhum morador precisa pagar passagem para andar de ônibus e trens desde 2013. Porém, o projeto foi subsidiado por impostos adicionais.

  • Dunquerque, França

Em Dunquerque os cidadãos podem usar o transporte público gratuitamente desde 2018, o que representou uma redução no trânsito de carros.

  • Ilhas dinamarquesas

Em algumas ilhas dinamarquesas, a gratuidade por tempo indeterminado foi introduzida por motivos econômicos. Faz parte do programa de apoio do governo dinamarquês para impulsionar o turismo após os lockdowns causados pela pandemia. O benefício não está mais disponível.

Por fim, apesar de os experimentos com transporte público gratuito ainda serem realizados em escala relativamente pequena, ainda assim surge como alternativa válida para as cidades inteligentes.

Tanto por representarem soluções mais adequadas tanto para a comunidade quanto para auxiliar nas questões sustentáveis. Resta saber agora quantos países irão aderir a essa política com o passar dos anos.

Você também pode se interessar por

Deixar um Comentário